Bienal de Coruche – Percursos com arte em contagem decrescente…

Bienal de Coruche – Percursos com arte em contagem decrescente…
30 de setembro a 15 de outubro
A Arte Urbana tem sido a protagonista das últimas edições da Bienal (2013 e 2015) e esta edição pretende reforçar a articulação entre a obra e o espaço que a envolve. Este ano o percurso privilegia o rio Sorraia e a sua margem direita com um possível apontamento na entrada poente/oeste do centro histórico da vila de Coruche. O objetivo desta Bienal é intervir neste circuito pré-definido onde as obras selecionadas a concurso, num total de dez instalações que neste momento já estão apuradas, tenham nas suas variadíssimas expressões impacto e presença significativa no local escolhido.

A apreciação das obras pelo júri atribuirá no dia da inauguração o prémio designado  “Distinção Bienal de Coruche – Percursos com Arte”, que se materializa na entrega de um diploma e de um subsídio ao desenvolvimento artístico no valor de 4000 euros. Este concurso contou, como elemento convidado do júri de seleção, com Isabel Baraona, coordenadora da licenciatura em Artes Plásticas do ESAD.CR. Relativamente ao júri que atribuirá a distinção principal ou eventuais menções honrosas, irá contar com a colaboração de Cláudia Camacho, curadora, e de Alberto Simões de Almeida e Luís Paulo Costa, artistas plásticos.

Projeto Envolvências Locais

A programação paralela desta edição é diversificada e muito ambiciosa, nomeadamente o projeto da comunidade “Envolvências Locais” que, à semelhança das edições de 2013 e 2015 da Bienal, apresentará mais uma intervenção artística com o propósito de envolver a comunidade em geral e que nesta edição é transversal a várias gerações, ultrapassando largamente o número de pessoas envolvidas face às edições anteriores. Desta feita são oitocentos e sete colaboradores e vinte e oito instituições que colaboraram na intervenção artística “Entre Pontes” localizada entre a ponte pedonal e a ponte Teófilo da Trindade.

Ainda completa a programação artística a presença de diversos espaços com exposições coletivas, instalações artísticas e outras manifestações de arte urbana, que pode visitar entre 30 de setembro e 15 de outubro na vila de Coruche.

 

Anúncios

BIENAL DE CORUCHE | 2017 – PERCURSOS COM ARTE

BIENAL DE CORUCHE | 2017 – PERCURSOS COM ARTE
Entrega das propostas até ao dia 25 de agosto

Recordamos que está em preparação mais uma edição da Bienal de Coruche cujo percurso, tendencialmente ribeirinho, não deixa de se relacionar, ainda que de forma discreta, com os valores urbanos e arquitetónicos da vila.

Com uma reincidência na abordagem artística da Instalação objetiva-se, em termos temáticos, reforçar a articulação entre a obra e o contexto da sua inserção, criando uma simbiose entre a mesma e o espaço envolvente.

A todos os artistas interessados recordamos que a entrega das propostas é até ao próximo dia 25 de agosto, conforme Normas de Participação disponíveis em www.museu-coruche.org, desejando-se que as obras a concurso apresentem, nas suas variadíssimas formas de expressão, um impacto e uma presença significativa no meio e lugar escolhido.

Este é o mapa de localização das obras a concurso na Bienal de Coruche de 2017. Não esqueça que as propostas a apresentar até ao próximo dia 25 de agosto devem ter em conta um local específico para as obras dentro deste percurso pré-definido.

 

Bienal de Coruche – Percursos com Arte 2017 | Preparação

Está em preparação mais uma edição da Bienal de Coruche – Percursos com Arte.
Em 2017 voltaremos a incidir na abordagem artística da Instalação. À semelhança do que tem acontecido é objetivo deste concurso intervir num percurso urbano de cariz rural pré-estabelecido, onde as obras selecionadas tenham, nas suas variadíssimas formas de expressão, um impacto e uma presença significativa no meio e lugar escolhido. Com esta edição, em termos temáticos, pretende-se reforçar a articulação entre a obra e o contexto da sua inserção, criando uma simbiose entre a obra artística e o espaço que a envolve. O percurso desvia-se, nesta próxima edição, para o rio e a sua margem direita, a jusante do centro da vila, com um possível apontamento na entrada poente/oeste do centro histórico. A relação com os valores urbanos e arquitetónicos permanece de forma mais discreta, no entanto o olhar não se consegue abstrair das infraestruturas que paralelamente o acompanham acrescentando uma mais-valia ao estímulo dos artistas.

As datas que importam, conforme os pontos 11, 21 e 23 das Normas de participação, são:
  • entrega das propostas até ao dia 25 de agosto de 2017;
  • nos primeiros dias de setembro faz-se a avaliação e informam-se os participantes;
  • os projetos selecionados serão concretizados entre os dias 25 a 29 de setembro 2017;
  • a inauguração será a 30 de setembro.

Tendo em conta que estamos com uma amplitude temporal ainda grande pode haver pequenas alterações nestas mesmas datas.

Contamos, desde já, com a vossa participação neste concurso que cada vez mais tem vindo a cimentar-se no panorama artístico do país.

Percurso

 percurso_bienal_2017

Bienal de Coruche – Percursos com Arte 2015 | Balanço

A edição de 2015 deu continuidade ao processo iniciado em 2013, oferecendo aos visitantes a possibilidade de contactarem com manifestações artísticas de exterior que, dadas as suas características, têm um maior impacto visual, sendo a instalação a sua principal forma de expressão.

Assim, na sequência de um percurso iniciado em 2003, com o I Salão de Artes Plásticas, e sendo 2011 um ano de balanço e de reflexão sobre os resultados alcançados, que nos presenteou com uma mostra expositiva do trabalho desenvolvido pelos autores distinguidos desde a primeira edição, 2015 trouxe-nos uma experiência estética em linguagem publicitária, de dupla valência: a arte na mensagem/a mensagem na arte. O objetivo desta edição foi uma chamada de atenção para os valores do concelho e da vila em particular. Certo é que as instalações artísticas nos remeteram para a ambiguidade deste tipo de manifestação enquanto expressão plástica, crítica social e veículo de intervenção no espaço público.

Sorria foi a peça Distinção Bienal de Coruche 2015, da autoria de Cláudio Garrudo. As duas menções honrosas foram atribuídas a Espigar, de Ester Monteiro, e a Quercus Carbonis, de IPU Collective, esta última igualmente com Distinção do Público.

Foi também um percurso fortemente marcado pela segunda edição da iniciativa Envolvências Locais, projeto que conectou a comunidade coruchense, mostrando o que de melhor os nossos artistas locais, profissionais e amadores, realizam. Este ano, com a intervenção artística Vestida de Lobeira, conciliou-se identidade e inovação. Centenas de mãos revestiram de malha e cor a Praça da Liberdade. Desfrutámos ainda do olhar apaixonado pela fotografia, com a presença de 20 autores coruchenses que, ao longo do percurso, apresentaram uma seleção dos seus inúmeros registos, fixando momentos e elementos do património natural e cultural do concelho.

Sendo inegável o interesse da Bienal de Artes de Coruche-Percursos com Arte na sociedade cultural do nosso concelho, despedimo-nos de 2015 perspetivando já a edição de 2017…