Debaixo da Mesa, por Joana Grupo de Teatro

Teatro, 10 de Outubro de 2009, 12h00, Rua de Santarém
Partida do Salão Alcorucen

 debaixo da mesa

Espectáculo de teatro de rua, livremente inspirado em personagens e
histórias da pintura de Paula Rego.

Um coelho grávido, um galo, uma macaca enfant-terrible, uma hipopótama apaixonada por um pincel sujo de azul. Um cão que é cão mas que também é gente, e que de vez em quando é só um brinquedo. Ora se é bicho que parece gente, ora se é gente que parece bicho. Comportamentos animais e temperamentos humanos. O que há de humano nos animais e de animal nos humanos. No centro de tudo, uma mesa que tem tudo ou quase tudo que faz falta aos bichos e às gentes. Ora bichos ora gentes, ora gentes ora bichos. As suas histórias, partidas, maldades e segredos.
Criação que evidencia uma visão caleidoscópica do mundo, plasmada numa teatralidade que permite a simultaneidade de acontecimentos, e uma narrativa fragmentada no tempo e no espaço. Espectáculo plástico e físico, que pretende quebrar o real, desorientar os sentidos e subverter as aparências, expresso na gestualidade e acções das personagens. Desenhado na largueza da rua, pensado visualmente com a largueza do traço cénico.

Espectáculo de teatro de rua em espaço fixo, antecedido por um percurso.

Público alvo: todas as faixas etárias

Ficha técnica e artística:
Concepção: Ana Mourato e Suzete Bragança Encenação: Suzete Bragança  Assistente de encenação: Hugo Gama  Elenco: Ana Mourato, Fernando Mariano, Helena Ávila, Hugo Gama  Cenografia/Espaço cénico: Rui Francisco Figurinos e máscaras: Inês de Carvalho Movimento: Maria João Pereira Adereços e assistente de cenografia: Rita Cardoso Pires Sonoplastia e operador de som: Miguel Machado Designer de comunicação: Rita Medeiros Carpintaria: Miguel Soares e Filipe Rodrigues Direcção de produção: Ana Mourato Produção: Joana Vilela

Categories: Ciclo Artes Plásticas e Outras Artes, IV Bienal de Coruche | Deixe um comentário

Estrela Solitária, de Wim Wenders

Cinema, 4 de Outubro, 15h00, Auditório José Labaredas (Museu Municipal de Coruche)

dontcomeknocking
Nomeado para a Selecção Oficial em Competição no
Festival de Cannes de 2005. 

Sinopse: Howard já teve dias melhores. Quando era novo, tornou-se numa estrela de cinema, especialmente em westerns. Com 60 anos, Howard recorre a drogas, álcool e jovens raparigas para fugir à dolorosa situação de já só haver papéis secundários para ele interpretar. Depois de mais uma noite de excessos na sua caravana, Howard acorda com o desgosto de estar vivo, mas sem ninguém que sentisse a sua falta caso estivesse morto. Nessa manhã, Howard veste-se a rigor e monta o cavalo do filme que está a rodar, mas não irá às filmagens. Howard foge… do filme e da vida.

Título original: Don’t Come Knocking
Com: Sam Shepard, Jessica Lange, Tim Roth, Sarah Polley, Fairuza Balk, Marley Shelton
Argumento: Sam Shepard
Género: Drama 

[122’, França, Alemanha, EUA, 2005, M/12]

Legendado em português.

Apresentação do filme pelo Comissário da Bienal de Coruche.

Entrada livre.

Categories: Ciclo Artes Plásticas e Outras Artes, IV Bienal de Coruche | Deixe um comentário

Premiados

Grande Prémio Bienal de Coruche – Blue and white, de Gil Maia

Menções Honrosas:
Abrigo-me #7, de André Filipe Matias Banha
Not in my house #2, de José Fonte
Paisagem 01, de Kasia Gubernat

Categories: IV Bienal de Coruche, Premiados | Deixe um comentário

Inauguração

Inaugura hoje pelas 18 horas no Salão Alcorucen a exposição das obras seleccionadas a concurso da IV edição da Bienal de Coruche .  

A exposição pode ser visitada no seguinte horário:
Sábado 11.00–22.00
Domingo e Feriado 11.00–20.00
Terça a Quinta 13.00–20.00
Sexta 13.00–22.00
Fechada ao público 12 de Outubro (Segunda)

Entrada livre

A exposição vai estar patente até 18 de Outubro.

Categories: IV Bienal de Coruche | Deixe um comentário

Convite

Convite

Categories: Convite, IV Bienal de Coruche | Deixe um comentário

Ciclo Artes Plásticas e Outras Artes

Este ano contamos, ainda, com um ciclo programático paralelo à Bienal com o qual, durante os dias de abertura da exposição, pretendemos mostrar como outras artes – sejam elas, o cinema, o teatro e a música – podem relacionar-se com o meio das Artes Plásticas. Oferecemos, assim, ao público da Bienal uma maior diversidade estética de qualidade e uma sensibilidade artística que se estende a outras áreas. Igualmente, desta forma, pretende-se atrair outro público a visitar a Bienal e a participar num conjunto de actividades e eventos propostos neste programa colateral.

Joana Maria Militão

Bienal de Coruche – Programação

Programação

Categories: IV Bienal de Coruche

Júri de Premiação

Para o júri de premiação contamos com a pintora Ana Vidigal, o pintor, crítico de arte e membro do Conselho Técnico da SNBA – Sociedade Nacional de Belas-Artes – Eurico Gonçalves, e o artista plástico da terra João Marçal para integrarem o júri de premiação deste ano.

Categories: IV Bienal de Coruche, Júri

Selecção das Obras

No passado dia 12 ocorreu a selecção das obras a concurso na Bienal. Das 458 obras de 277 artistas foram seleccionadas 74 obras de 55 artistas para integrarem a exposição final a decorrer de 2 a 18 de Outubro.

Lista de Obras Seleccionadas

Categories: IV Bienal de Coruche

Entrega de Obras II

O prazo para a inscrição e entrega de obras para a IV edição da Bienal de Coruche foi prolongado até ao final desta semana – dia 6 de Setembro.

Categories: IV Bienal de Coruche, Prazos | Deixe um comentário

Entrega de Obras

Começou hoje o período de recepção das obras para a Bienal de Coruche. O prazo para se entregar as mesmas vai até ao dia 2 de Setembro.

Categories: IV Bienal de Coruche, Prazos

Júri de Selecção

Já está confirmada a presença do artista plástico Rui Dias para fazer parte da composição do júri de selecção das obras a concurso.

Categories: IV Bienal de Coruche, Júri | Deixe um comentário

Spot Promocional

Categories: IV Bienal de Coruche, Spot | Deixe um comentário

Bienal de Coruche ’09

Apesar do atávico cinzentismo nacional, que nos nossos dias teima estar em alta, mais uma vez se reuniram condições para que o colorido projecto “Bienal de Coruche” trouxesse a esta vila um Salão de Artes Plásticas que já se constituiu como uma referência para muitos artistas, população local e apreciadores em geral. Neste ano de 2009 assistimos à 4ª edição e por isso já se nos é permitido alguma História. O que há seis anos poderia parecer um projecto inconsequente e superficial, um capricho ou uma “feira de vaidades”, dados os escassos recursos disponíveis e a inexistência de histórico local nesta área, a Bienal provou ser aquilo que se pretendia desde o início – um espaço de inovação, de encontro, de prazer intelectual e de experiência cultural para muitos, contribuindo para a valorização cultural e social da região. Se numa primeira fase a Bienal de Coruche perseguia um nicho dentro da produção artística, na expressão do neo-figurativo, com o tempo viemos a reconhecer uma apetência por parte de diferentes sensibilidades que se constituíram progressivamente como uma mais-valia cultural.

Este tipo de acontecimentos artísticos é uma oportunidade de crescimento intelectual que não se deve desprezar. Infelizmente, a Escola dos nossos dias subvaloriza o ensino artístico como potenciador de aprendizagens. Um jovem envolvido em actividades de compreensão artística, potencia habilidades manuais, desenvolve os sentidos mas sobretudo desenvolve a mente e as suas capacidades de discernir, interpretar, compreender, representar, imaginar. Também na vertente didáctica a Bienal tem sabido articular-se com o trabalho desenvolvido nas escolas, contribuindo para a humanização de sucessivas camadas jovens no sentido completo e pleno da palavra.

Não existe humanização sem partilha, sem comunicação. Ao afirmar que na arte encontramos uma forma privilegiada de educar e comunicar, estamos a implicar o artista como agente de mistérios, que dão a conhecer a intimidade e a sua interpretação do mundo, o que nos enriquece humana e espiritualmente. Com ele partilhamos o conhecimento e o fenómeno criador e é essa a essência que queremos perpetuar em mais uma Bienal de Coruche

Carlos Janeiro –  COMISSÁRIO DA EXPOSIÇÃO

Categories: IV Bienal de Coruche | Deixe um comentário

IV Edição da Bienal de Coruche

Cartaz da Bienal'09

 Cartaz da Bienal’09 – Download

 

Vai ter lugar, de 2 a 18 de Outubro, a IV Bienal de Coruche. As obras a selecção devem ser entregues entre os dias 20 de Agosto e 2 de Setembro, no Museu Municipal de Coruche.  Encontram-se disponíveis o regulamento e a ficha de inscrição no sítio da Câmara Municipal de Coruche, em www.cm-coruche.pt, ou neste blog, na página Regulamento e Inscrição.

Categories: IV Bienal de Coruche

Bienal de Coruche – Salão de Artes Plásticas

A Bienal de Coruche é um Salão de Artes Plásticas na área da pintura, desenho e técnicas mistas, cujo espírito se enquadra na nova expressão contemporânea.

Categories: Bienal de Coruche, Introdução

Site no WordPress.com.